A Quinta

 

não é um pedaço de terra

Quem sobe à Serra de Montejunto depara-se com uma paisagem que enamora os sentidos. Um cenário feito com o verde dos campos, não apenas de vinhas, e com o azul do mar.

A Quinta da Chocapalha situa-se nesse ondulado, por onde se desce até ao Tejo. A estrada, que vem da Aldeia Galega da Merceana, tem um charme muito próprio, ornamentada por árvores centenárias e de grande porte.

Quando aqui cheguei fiquei deliciado. O que me fascinou era ser uma quinta e não um pedaço de terra. Aqui cheirava-se a tradição e isso vê-se pelas árvores. Aqui viveu alguém que também tinha uma paixão pela terra.

Contudo, nem tudo estava ajustado aos objectivos que a família Tavares da Silva tinha em mente, o que levou Paulo Tavares da Silva a dedicar-se empenhadamente ao estudo. Quis também ouvir as pessoas mais velhas das aldeias, conhecedoras dos segredos da natureza da zona. Desde o começo que o projecto assenta no aproveitamento do que a tradição tem de melhor, juntando-lhe o conhecimento e a tecnologias mais modernas.

Embora há muito tempo reconhecida com potencial para produzir grandes vinhos, esse objectivo foi mudando. Quando a família Tavares da Silva chegou à Quinta da Chocapalha, as castas plantadas visavam a obtenção de produção e estavam em mau estado. Reestruturar a vinha foi inevitável para cumprir o objectivo de conseguir produzir vinhos que melhor reflectissem o especial terroir desta quinta.

não é um pedaço de terra

Quem sobe à Serra de Montejunto depara-se com uma paisagem que enamora os sentidos. Um cenário feito com o verde dos campos, não apenas de vinhas, e com o azul do mar.

A Quinta da Chocapalha situa-se nesse ondulado, por onde se desce até ao Tejo. A estrada, que vem da Aldeia Galega da Merceana, tem um charme muito próprio, ornamentada por árvores centenárias e de grande porte.

Quando aqui cheguei fiquei deliciado. O que me fascinou era ser uma quinta e não um pedaço de terra. Aqui cheirava-se a tradição e isso vê-se pelas árvores. Aqui viveu alguém que também tinha uma paixão pela terra.

Contudo, nem tudo estava ajustado aos objectivos que a família Tavares da Silva tinha em mente, o que levou Paulo Tavares da Silva a dedicar-se empenhadamente ao estudo. Quis também ouvir as pessoas mais velhas das aldeias, conhecedoras dos segredos da natureza da zona. Desde o começo que o projecto assenta no aproveitamento do que a tradição tem de melhor, juntando-lhe o conhecimento e a tecnologias mais modernas.

Embora há muito tempo reconhecida com potencial para produzir grandes vinhos, esse objectivo foi mudando. Quando a família Tavares da Silva chegou à Quinta da Chocapalha, as castas plantadas visavam a obtenção de produção e estavam em mau estado. Reestruturar a vinha foi inevitável para cumprir o objectivo de conseguir produzir vinhos que melhor reflectissem o especial terroir desta quinta.

Desde os Romanos que aqui se faz vinho

A região de Alenquer foi habitada muito cedo. Em escavações arqueológicas foram encontrados objectos de cerâmica, datados do período do Neolítico.

A romanização aconteceu a partir do século II Antes de Cristo. A decadência do Império Romano trouxe os Visigodos até à região, por onde passaram também Suevos, Alanos e Vândalos. Com a chegada dos Mouros à Península Ibérica, em 711, toda esta área foi ocupada por populações muçulmanas.

Aqui, o cultivo da vinha é antigo, remontando ao tempo da ocupação romana. Mesmo durante o período muçulmano se continuou a fazer vinho neste território. Ao longo dos séculos, os forais das vilas em redor de Alenquer o referiram como parte importante da economia local.

Desde os Romanos que aqui se faz vinho

A região de Alenquer foi habitada muito cedo. Em escavações arqueológicas foram encontrados objectos de cerâmica, datados do período do Neolítico.

A romanização aconteceu a partir do século II Antes de Cristo. A decadência do Império Romano trouxe os Visigodos até à região, por onde passaram também Suevos, Alanos e Vândalos. Com a chegada dos Mouros à Península Ibérica, em 711, toda esta área foi ocupada por populações muçulmanas.

Aqui, o cultivo da vinha é antigo, remontando ao tempo da ocupação romana. Mesmo durante o período muçulmano se continuou a fazer vinho neste território. Ao longo dos séculos, os forais das vilas em redor de Alenquer o referiram como parte importante da economia local.

Famílias Vintage

Jornal da Noite, SIC

Conheça a Quinta de Chocapalha pela reportagem feita por Lúcia Gonçalves em Setembro de 2017.

Entre em contacto!

Para mais informações queira, por favor, entrar em contacto conosco

Declaração de Consentimento de Recolha e Tratamento de Dados Pessoais


De acordo com o estabelecido no Regulamento Geral da Proteção de Dados, os seus dados pessoais destinam-se a ser incorporados num ficheiro titularidade de Quinta da Chocapalha, com a finalidade de manter a relação comercial entre o utilizador do web site e a Quinta da Chocapalha.

Declaro que tomei conhecimento e consinto que a Quinta da Chocapalha proceda ao tratamento dos meus dados pessoais para fins comerciais, ações de comunicação e marketing ou outros para os quais os dados tenham sido fornecidos.

Tomo ainda conhecimento que será assegurada a confidencialidade de segurança dos dados pessoais por mim fornecidos, nos termos do Regulamento Geral da Proteção de Dados, bem como que compreendi a explicação constante da Política de Privacidade, do direito de querendo, aceder, rectificar, apagar ou retirar o consentimento ao tratamento dos mesmos, através dos seguintes contactos:



E-mail: chocapalha@chocapalha.com

Morada: Quinta da Chocapalha, 2580-081 Aldeia Galega da Merceana.

 

Com os melhores cumprimentos,
Chocapalha.

You have Successfully Subscribed!

Share This